Prejuízos do álcool: saiba identificar seus limites

Que mal pode haver numa cervejinha depois do trabalho? Que mal tem em passar um pouco da conta ao comemorar aquela promoção tão aguardada na empresa? Há motivos para preocupações? De maneira geral, não, mas é sempre bom levarmos em conta que tudo tem limites que, quando ultrapassados, podem ser sinal de que algo está errado. Afinal, você sabe quais são os prejuízos do álcool.

Bebida alcoólica e celebrações sempre estiveram umbilicalmente ligadas desde que o hidromel, uma das primeiras bebidas alcoólicas desenvolvidas lá no Egito Antigo, foram criadas.

Por outro lado, desde a adolescência somos convidados pelas propagandas na TV a comer uns petiscos e beber cerveja quando o time de coração está jogando, somos encorajados por pais e parentes a tomarmos uma bebida enquanto nos esbaldamos de comer no churrasco. Faz parte da cultura social. Não fosse assim, a indústria do setor não seria uma das mais lucrativas.

Mas – e sempre tem o mas – o hábito de beber é socialmente aceitável e tolerável do ponto de vista da saúde até o momento em que começa a perceber prejuízos do álcool na vida da pessoa.

Uma coisa é fazer o happy hour de vez em quando, outra é parar no bar todos os dias e chegar consequentemente ‘travado’ em casa. Uma coisa é celebrar a promoção, outra totalmente diferente é deixar de lado os compromissos (o que inclui chegar atrasado no próprio trabalho) porque exagerou na noite anterior.

Como dizem os especialistas da Clínica Viva, há sinais que indicam quando o hábito lúdico de beber começa a dar lugar ao uso abusivo, que tende a levar à dependência química.

Entre os sinais que não podem ser desconsiderados, estão:

Problemas no trabalho

Atrasos, advertências, demissões que têm a bebida como causa ou consequência;

Problemas na vida conjugal

Discussões, violência verbal ou física que têm a bebida como causa ou consequência;

Problemas nos círculos de amizade

Brigar com amigos sob efeito do álcool, procurar apenas amigos que bebem e excluir do ciclo de amizade aqueles que não bebem;

Negar a influência do álcool

Quando a pessoa se nega a admitir que os problemas estão ligados à bebida;

Excesso de importância

Se todo almoço, toda festa, todas ocasiões só valem a pena se forem acompanhados de muita bebida;

Quando só o álcool resolve

Quando tudo o que pensar ou sentir (alegria, tristeza, angústia, raiva) vier associado a bebidas;

Beber todos os dias

Obviamente, quando toda hora for hora de beber, inclusive no intervalo do almoço em dia útil, é um sinal claro de que o álcool pode se tornar um grande problema.

Há outros sinais que podem não estar relacionados nesta lista. Mas, o artigo não tem o objetivo de esgotar debate sobre o assunto, que é muito amplo. O que queremos deixar claro é que beber de vez em quando – com exceção de quem é alcoolista diagnosticado – não faz mal, o que é sintomático é a importância que a pessoa que bebe dá ao álcool e a influência que ela passa a ter em sua vida ao longo do tempo.

E quanto antes controlar a situação, melhor. Hoje há modelos de tratamento para situações menos graves que dispensam internação e podem ser feitos com o auxílio de fitoterápicos. Tudo para garantir uma boa qualidade de vida, sem prejuízo da atividade profissional, da vida pessoal, dos círculos de amizade. Afinal, o que importa é curtir a vida sem prejudicar nossa saúde, nosso corpo e nossa mente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *