Funk consciente contrapõe a onda de músicas de drogas, sexo e ostentação

Uma música chamada “Encostei no baile funk” está dando o que falar na internet. Ostentação? Drogas? Sexo inconsequente? Nada disso! A música, do MC Garden, de 21 anos, foi apelidada de “funk consciente”, porque faz críticas ao que muitos funkeiros apoiam.

Em recente entrevista ao portal UOL, MC Garden disse que o funk perdeu a essência que tinha e hoje não apresenta conteúdo. Ele, no entanto, vê esperança para o estilo. “O pessoal não quer ficar ouvindo só ostentação e putaria”, afirmou. Se depender dos números, MC Garden está certo: o vídeo da música “Encostei no baile funk” está chegando a 3 milhões de visualizações no facebook até a publicação deste texto.

Na letra, um dos apontamentos do MC Garden é a respeito do uso de drogas por adolescentes: “Encostei ali num baile funk e fui vendo os bang que não era bom/ É que eu vi os moleques de 13 com a cara de sono e a latinha na mão/ E essa lata já tava amassada, em vez de refri tinha lança perfume/ É o perfil do moleque que o pai fugiu da responsa e a mãe não assume”.

“Acredito que se outros MCs de peso vierem nessa onda junto comigo, a gente consegue mudar a cena do funk, e dar mais respeito para o ritmo. Porque ele é muito desrespeitado. Muita gente fala com razão que o funk não é música, que o funk não presta. E têm razão quando falam isso, porque a maioria das letras realmente não tem conteúdo algum, não agrega nada para quem escuta. Mas eu acredito que o funk consciente é a tendência. O pessoal chama de revolucionar o funk”, disse Mc Garden ao portal G1.

Quer conferir a música completa? Dá o play e aumenta o som:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *