Ciúme patológico: quando o medo de perder o parceiro torna-se uma doença

Quando a gente gosta é claro que a gente cuida, mas quando esse cuidado significa querer controlar todos os passos, comportamentos e sentimentos do parceiro, é bom ficar atento: este medo de perder o parceiro pode ser um indício de uma doença. O ciúme patológico é um transtorno de origem emocional que pode atingir todos os gêneros, idades e classes sociais. Mas como saber a até que ponto é normal sentir ciúme?

De acordo com a psicóloga Sonia Regina Solano Paes Breda, da Clínica Terapêutica Viva, o ciúme faz parte das relações afetivas e quando é moderado não há problema. Já o ciúme patológico é uma doença reconhecida pelo Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais (DSM – IV) que provoca um grande desgaste no relacionamento.

“O ciúme patológico causa prejuízos tanto para os que sofrem da doença quanto para os parceiros. Além da emoções, como angústia, tristeza e raiva, quem sofre de ciúme patológico pode ter comportamentos agressivos e reações físicas, como a taquicardia. Já os parceiros sofrem pela situação ameaçadora que vivem no relacionamento. Em alguns casos, há relatos de agressão”, explica a especialista.

E se engana quem pensa que o ciúme surge ‘do nada’. “O que muitas vezes acontece é que a pessoa sofre de ciúme, mas consegue esconder por um período. Porém, diante de alguma situação que ela considere ameaçadora, ela vai ter atitudes e comportamentos no anseio de controlar o parceiro”, esclarece Sonia.

Tratamento para ciúme patológico

Embora haja poucas conclusões a respeito da origem do ciúme patológico, sabe-se que é um transtorno que necessita de tratamento. “O portador de ciúme patológico precisa realizar tratamento para que ele possa voltar a ter relacionamentos afetivos saudáveis. Nesses casos, o recomendado é a terapia cognitiva-comportamental para que a pessoa possa mudar os padrões de comportamento através do entendimento do que desencadeia o ciúme nela e aprender a ter estratégias para lidar com as situações-problema”, orienta a psicóloga Sonia.

Se você está sofrendo pelo ciúme patológico ou conhece alguém com este perfil, procure quem pode te ajudar. Na Clínica Viva, o tratamento é totalmente individualizado e o paciente tem o acompanhamento de uma equipe multidisciplinar. Quer saber mais? Acesse: tratamento para ciúme patológico.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *