Tricotilomania: 9 fatos que você deve conhecer

Uma doença caracterizada pelo ato de puxar os fios de cabelo. Lendo isso ou assistindo uma pessoa agir assim pode até soar estranho, mas a tricotilomania não é raridade. Mesmo assim, ainda há preconceito com quem sofre com a doença. Mas o melhor remédio para o preconceito é a informação. Portanto, leia a seguir 9 fatos sobre a tricotilomania que você deve conhecer.

1)      Os primeiros relatos sobre a doença é de 1889. O médio francês François Henri Hallpeau descreve uma paciente que puxava os cabelos. Ele, na época, utilizou o nome “tricotilomania” que, do grego, trico = cabelo e tillo = arrancar.

2)      Na psicologia, ainda não há certeza dos motivos que leva uma pessoa a sofrer de tricotilomania. No entanto, os especialistas acreditam que a doença possa ser de origem biológica e/ou genética, transtorno de ansiedade, estresse, depressão ou situações traumáticas.

3)      A doença afeta cerca de 3% da população. Destes, muitos sofrem em silêncio, pois ficam com medo do preconceito ou sentem vergonha de falar sobre a doença.

4)      A doença pode atingir qualquer pessoa, independente de gênero. No entanto, estimativas apontam que as mulheres são as que mais sofrem de tricotilomania. De 10 casos, cerca de 9 são do sexo feminino.

5)      Geralmente, quem sofre de tricotilomania costuma arrancar um fio de cada vez. Porém, é comum que surjam falhas no couro cabeludo devido a frequência em que este ato é feito, o que pode ser questão de semanas ou anos.

6)      A doença faz com que a pessoa use chapéus, lenços, bonés, perucas, cílios postiços e maquiagem para disfarçar as falhas no cabelo, sobrancelhas ou cílios.

7)      A tricotilomania costuma se manifestar na adolescência, entre 11 e 13 anos. No entanto, há quem apresente os primeiros sintomas na infância ou na vida adulta.

8)      Alguns, além de puxarem, também comem os cabelos, tornando-se um perigo para a saúde. A tricotilofagia, também conhecida como a Síndrome de Rapunzel, já foi assunto no nosso blog em Síndrome de Rapunzel: 7 coisas que você precisa saber.

9)      Através de tratamento, quem sofre de tricotilomania aprende a identificar as situações que despertam a sua compulsão e, com isso, mudar seus hábitos.

Se você sofre de tricotilomania, saiba que a Clínica Viva oferece um tratamento personalizado e totalmente sigiloso. A equipe é formada por profissionais de diversas especialidades, incluindo psicólogos especialistas em psicoterapia. Quer saber mais? Acesse: tratamento para tricotilomania.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *