Dia do alcoólico recuperado é celebrado no dia 09 de dezembro

 

A recuperação do alcoolismo deve ser comemorada, tanto pelos os que já sofreram com a doença como aqueles que já tiveram um familiar ou amigo alcoolista. E no Brasil, o Dia do Alcoólico Recuperado é celebrado no dia 09 de dezembro.

Para inspirar quem ainda não conseguiu a recuperação, segue o depoimento de um paciente da Clínica Viva, que não aceitava ser um alcoolista e foi convencido pelo filho a se tratar.

Não aceitava ser um alcoólatra

Meu nome é O.C.A* e sou de uma cidadezinha do sul de Minas Gerais.

Comecei a beber com uns dez anos, a partir de pequenos goles, mas com o passar do tempo fui aumentando a dose e sempre ouvia minha mãe pedir para me tratar e parar de beber. Mas eu nunca ouvi o que ela dizia e muito menos as outras pessoas que me alertavam.

Casei aos vinte anos e sempre bebia, tive dois filhos. Minha esposa e eles, quando cresceram, sempre me pediram para que eu tratasse do problema com o álcool. Mas eu nunca aceitei e sempre achei que poderia parar quando quisesse e o fato de conseguir ficar de quinze a vinte dias sem beber reforçava essa crença. Mas o fato é que quando eu voltava a beber, sempre era pior que antes.

Eu judiava muito da minha família por conta da bebida, mas um dia, meu filho tomou uma decisão e agendou uma consulta pra mim na Clínica Viva em Campinas. Ao longo da viagem, meu filho conversou comigo sobre os problemas do álcool em nossas vidas. Tal conversa me fez aceitar conversar com um dos profissionais da clínica e partir desta conversa eu aceitei iniciar o tratamento me internando.

Ao longo de toda a minha vida eu nunca tinha visto meu filho chorar de alegria, sempre de tristeza por conta de meu problema com o álcool e por ser brigão. Mas neste dia eu o vi chorar de alegria com a minha aceitação.

Saiba onde encontrar: tratamento para alcoolismo

Fiz o tratamento por três meses na Clínica Viva de Itu, passei por várias e difíceis fases, mas sobrevivi e me fortaleci. Até que chegou a hora de voltar pra casa e fui advertido pelos profissionais que seria a fase mais difícil de todas, mas estou usando as ferramentas que lá aprendi.

Assim, a cada dia que passa me sinto melhor comigo mesmo e com toda a minha família. Voltei a fazer coisas que já não fazia há muito tempo por estar bebendo, como por exemplo: exercícios físicos, a prática da pesca, a boa conversa com as pessoas queridas e estou na fase de resgate de meu casamento, um novo começo.

Desejo e já estou recuperando o tempo perdido, quero viver mais com a minha família e com os meus netos, quero viver bem!

Mas tenho a consciência que um alcoólatra é sempre um alcoólatra, ou seja, não posso nunca me esquecer disso, pois um passo em falso pode recomeçar todo o pesadelo.

Graças a Deus, a minha família e a Clínica Viva por intermédio de seus profissionais, hoje posso dizer que estou vivendo melhor.

E sei que de onde estiver, minha mãe e meu pai estão muito felizes com a minha atitude de aceitar o tratamento e parar de beber.

*Nome ocultado para preservar a identidade do paciente

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *