Você se compara com uma capa de revista?

capa-de-revista

Musas dignas de capas de revistas são perfeitas. Magras, pele de pêssego, sem manchas, rugas celulites ou estrias, seios empinados e cabelos brilhantes. Será? Em uma sociedade onde o belo deve ser perfeito (mesmo que isso seja através de manipulação de imagens) e não ter esse padrão significa ser rejeitado, há uma expectativa irreal dos leitores das revistas. O resultado? Uma autoimagem negativa.

A autoimagem é a visão que temos de nós, geralmente construída desde a infância, e que pode ser afetada por fatores emocionais, afetivos, moda, mídias, entre outros. Uma autoimagem negativa pode produzir comportamentos distorcidos. Tudo porque acreditam que são feios ou inadequados, por mais que outras pessoas digam o contrário.

E para mudar essa autoimagem negativa? Existe a psicoterapia onde a pessoa encontra a mudança na forma de se enxergar, aprendendo a sentir-se bonita, independente de padrões ou de opiniões alheias.

Aliás, não devemos deixar de lembrar que a autoimagem está ligada a doenças emocionais, pois há pessoas que, sentindo-se rejeitas e feias, manifestam suas angústias através dos transtornos alimentares ou mesmo no uso de drogas.

E só para lembrar que as musas de revistas também são humanas e passam longe de qualquer perfeição (ufa!), segue algumas fotos para você perceber o quanto as imagens são manipuladas. Dá só uma olhada:

anigif_enhanced-buzz-14660-1360694322-6 anigif_enhanced-buzz-13928-1360693318-0 anigif_enhanced-buzz-12025-1360692914-1 anigif_enhanced-buzz-30680-1360694117-0 anigif_enhanced-buzz-26230-1360695755-10 anigif_enhanced-buzz-17659-1360693306-0 talyor-lautner-before-after-photoshop

 

E se sua autoimagem está negativa e você quer reverter isso com a psicoterapia, entre em contato conosco pelo www.ctviva.com.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *