Ditadura da beleza: internautas se revoltam com foto de modelo considerada plus size

plus-size-model

A modelo Robyn Lawley postou uma foto sua de biquíni no instagram sem maquiagem e sem retoque de editores de imagem. Isso não seria problema se não fosse um detalhe: a jovem se considera modelo plus size – o que fez com que gerasse grande revolta por parte dos internautas e retornasse a discussão sobre a ditadura da magreza.

Olhe bem para foto acima. Ela parece ser uma modelo plus size? Se não sabe o que é isso, a gente explica: são mulheres lindas que usam manequim 44 em diante, ou seja, totalmente fora do padrão mais magro considerado ideal para modelos. E Robyn, com seus 81 quilos distribuídos em 1,82m (IMC de 24,5 – considerado normal), é considerada uma modelo plus size nos parâmetros das passarelas.

A maioria dos comentários foi questionando o porquê dela ser intitulada plus size. Outros, irônicos, até brincaram que, então, há mais obesos no mundo do que eles achavam ou que eles eram obesos.

Comentários retirados do si te Marie Claire
Comentários retirados do site Marie Claire

Em entrevista recente ao ‘The Ellen Show’, de Ellen Degeneres, a modelo Robyn falou sobre seu estereótipo: “Amo meu corpo. Estou feliz com ele”. Robyn começou a modelar aos 16 anos. “Naquela época tentei perder peso, porque achei que tinha que ser magra para ser modelo. E nem mesmo no auge da minha magreza, eu não era magra o suficiente para modelar. Estar de dieta era um inferno. Eu tinha 16 anos e culpar o corpo por não conseguir um trabalho era terrível”, analisou.

A própria sociedade aos poucos está tomando consciência do exagero estipulado pela ditadura da magreza, onde muitos sofrem por não ter o ‘corpo ideal’, resultando em dietas malucas, frustrações, baixa autoestima e até transtornos alimentares.

A anorexia e a bulimia são os transtornos alimentares mais comuns. Atingem mais adolescentes e mulheres jovens, mas também pode afetar homens. Por mais que sejam consideradas magras, essas pessoas não conseguem acreditar, resultando em uma busca incessável pela magreza.

Os transtornos alimentares precisam de tratamento. Através de um acompanhamento multidisciplinar, é possível voltar a ter uma relação saudável com a comida e com o espelho. Se você conhece uma pessoa que precisa de ajuda, entre em contato com a Clínica Viva. Temos uma equipe altamente capacitada para tratamento de transtornos alimentares. Acesse www.ctviva.com.br.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *