Chega de dúvidas sobre a dependência química

Quando o assunto é dependência química, muito se discute sobre o tema. Há quem acredite que uma pessoa só se recupera se quiser ou que não tem outro caminho senão a internação. Desvende esses e outros mitos sobre a dependência química:

1) ‘A pessoa pode vencer a dependência quando ela quiser de verdade’
Não é tão simples assim. As drogas causam alterações no funcionamento do cérebro que provocam a dependência química. Portanto, uma pessoa pode querer se ver livre das drogas mas não conseguir resistir facilmente, especialmente pelos sintomas de abstinência.

2)  ‘Uma pessoa não deve receber tratamento se ela não quiser’
O tratamento voluntário possui mais índices de sucesso, graças ao baixo comprometimento da saúde física e mental do dependente químico. Porém, quando o paciente está com um nível grave, ele não aceita tratamento, pois perdeu a sua capacidade de tomar decisões. Por isso, nesses casos, a lei garante o direito da família e da justiça em internar uma pessoa sem sua aceitação. Após o período de desintoxicação, o próprio dependente entende a necessidade de tratamento.

3) ‘Fez tratamento uma vez e teve recaída. Não há motivo para tentar novamente’
A recuperação da dependência química é um processo longo e as recaídas são comuns. Porém, recaída não é motivo para desistir nem significa fracasso do tratamento. Sempre é tempo para recomeçar a cuidar da saúde.

4) ‘É preciso chegar ao fundo do poço para buscar ajuda’
Muitos pacientes demoram em buscar ajuda porque negam que estejam doentes, dizem que podem parar quando quiserem e esperam chegar ao fundo do poço. Vale ressaltar que o tratamento da dependência química, como em qualquer outra doença, deve ser iniciado o mais rápido possível. Isso porque quanto mais tempo for o abuso de drogas, mais será difícil para o dependente químico.

5) ‘Só é possível tratar a dependência química com internação’
O tratamento da dependência química depende do nível em que o paciente se encontra. Quando o dependente ainda está em nível leve a moderado, é possível fazer um tratamento totalmente ambulatorial, ou seja, sem internação. Porém, muitos só procuram ajuda quando a dependência química está em nível moderado a grave, necessitando de internação.Veja: tratamento para dependência química.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *