Tricotilomania também é coisa de homem

Ansiedade, nervosismo, estresse. Qualquer coisa é motivo para Paulo começar a puxar fios de cabelo. Para ele, isso é algo espontâneo. Não dá para controlar. Mas puxar os fios não é para ele uma forma de tortura e, sim, de prazer e satisfação. Peraí, como assim?

Na vida existem muitas histórias de vida como a de Paulo. Homens que, por alguma razão emocional, puxam os fios de cabelo ou pelos do corpo por prazer ou alívio de tensão.  O problema é que não puxam um ou dois fios. Eles vão puxando constantemente e isso é caracterizado como um transtorno chamado tricotilomania.

A tricotilomania pode estar associada a outras doenças, como depressão, transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) e transtorno de ansiedade. A doença acarreta muitos prejuízos à pessoa. Além das falhas no couro cabeludo ou calvície, também pode causar sofrimento na vida pessoal e profissional, por sentir-se constrangido, por exemplo. Esta doença pode atingir tanto mulheres quanto homens, embora os homens são os mais relutantes em procurar ajuda.

“Os homens não admitem que arrancam os cabelos, provavelmente pela dificuldade em expor seus sentimentos e problemas para terceiros, sendo comum atribuir as falhas com o fato de estar com calvície”, explica a psicóloga Andréia Guimarães, da Clínica Viva.

Mas os homens não precisam sentir vergonha em procurar auxílio profissional. O tratamento envolve a psicoterapia, como forma de descobrir o que leva a pessoa a puxar os fios e, assim, aprender a controlar os impulsos. Todo o tratamento é feito individualmente, com total privacidade. Precisa de mais detalhes? Acesse: tricotilomania.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *