O que leva uma pessoa a arrancar os cabelos?

É automático: uma situação um pouco mais difícil e a mão já está na cabeça, arrancando alguns fios de cabelo. O parece ser uma simples mania pode ser um transtorno chamado de tricotilomania.

O nome pode ser diferente e talvez a palavra seja nova para você, mas a tricotilomania não é algo recente. Em 1889 o médico francês François Henri Hallpeau (1842-1919) descreveu um paciente que puxava tufos de cabelo, dando o nome tricotilomania (do grego trico = cabelo, fio; tillo = arrancar). Mas foi só no século 20 que houve reconhecimento de que se trata de um transtorno ligado à falta de controle dos impulsos.

Esse transtorno é caracterizado pelo impulso de arrancar os próprios cabelos, podendo arrancar, também, cílios, sobrancelhas e outros pelos do corpo. Ansiedade, estresse e situações desagradáveis estão entre alguns dos motivos que podem desencadear a vontade desenfreada de arrancar os fios com frequência como forma de alívio e prazer.

O resultado desse transtorno são as falhas no cabelo e sobrancelhas ou mesmo calvície. Há também pessoas que engolem os cabelos. Esse comportamento é chamado de tricofagia. Como o cabelo humano não é digerível, ele se acumula dentro do corpo, podendo precisar de uma cirurgia para retirá-los.

O tratamento da tricotilomania necessita de estratégias para que seja possível resistir aos impulsos. A principal abordagem é a terapia cognitivo-comportamental – método que ajuda o paciente a identificar as situações que o leva a arrancar os fios e controlar esse comportamento, motivando-o a mudar. Para saber mais detalhes, clique: Tratamento para Tricotilomania.

Com informações da Clínica Viva, Revista Mente e Cérebro e artigo “Síndrome de Rapunzel em uma criança de 10 anos: relato de caso em um hospital universitário”. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *