Ciúme: Até que ponto é normal?

Você já sentiu ciúme de algum objeto? Difícil quem nunca tenha sentido. Pode ser uma roupa, um calçado, maquiagem ou carro. É algo comum que, no geral, não costuma causar danos.

A vlogueira Gabbie Fadel, em seu canal no youtube, abordou o ciúme de objetos em um vídeo recente. Ela diz que também sente ciúme das pessoas, mas que desde criança ela tem ciúme de alguns objetos, como enxoval. Ela diz que hoje tem ciúme da caneca, maquiagem, roupas, aplicativos de Iphone, entre outras coisas.  Veja o vídeo:

Nos comentários do vídeo, diversas pessoas apontaram os objetos pessoais nos quais elas sentem ciúme. Em sua maioria, coisas semelhantes ao da Gabbie: roupas, notebook, celulares, série favorita, livros, etc.

O ciúme é natural do ser humano e pode se manifestar de diversas maneiras: família, amigos, objetos e relacionamentos amorosos. Geralmente é neste último item que o ciúme pode ser tornar uma doença. Para a psicóloga Aurea Tami Baraldi, da Clínica Viva, o problema é como algumas pessoas lidam com este sentimento. “Um critério básico para saber se está tendo problemas com o ciúme é observar o tempo que este sentimento ocupa na vida de uma pessoa e se está trazendo algum sofrimento”, explica.

Alguns sintomas do excesso de ciúme é olhar as mensagens e ligações do celular da pessoa, ficar procurando ‘provas’ de uma traição sem um motivo concreto, vasculhar redes sociais e e-mails, entre outros. Geralmente, esses comportamentos deixam a relação desgastada.

O ciúme patológico tem tratamento. Segundo a especialista, através da terapia cognitivo-comportamental, o paciente aprende a mudar o comportamento, ganhando mais confiança em si. Para saber mais detalhes sobre tratamento do ciúme patológico, clique aqui.

Você já passou por alguma situação delicada ou mesmo constrangedora devido o ciúme? Deixe seu recado!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *