90% dos municípios brasileiros enfrentam problemas com o consumo de crack, diz estudo

Crack avança na maioria das cidades brasileirasRevista Veja

Segundo pesquisa divulgada nesta segunda-feira pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM), problemas relacionados ao crack são comuns em 90,7% dos municípios brasileiros. O estudo, feito em 4.430 cidades, ainda apontou para o fato de 63,7% das cidades analisadas enfrentarem problemas na área de saúde por causa da droga.

A pesquisa também revelou que, dos municípios analisados, 90% enfrentam problemas com a circulação de drogas em geral e 93,9% com o consumo das substâncias.

Em relação ao crack, as principais dificuldades apontadas pelas cidades dizem respeito à saúde, e abrangem desde falta de leitos para internação até carência de disponibilidade de remédios. Em segundo lugar, 58,5% dos municípios disseram ter problemas relacionados à segurança, como aumento de furtos e roubos, violência doméstica e vandalismo.

A deficiência da assistência social também é realidade nesses municípios. Deles, 44,6% revelaram problemas com o Centro de Referência Especializado da Assistência Social (Creas). Somado a isso, a pesquisa ainda detectou que apenas 19% das cidades possuem o Centro de Atenção Psicossocial, o CAPS. Os outros 81% afirmaram que a falta de equipamentos impedem que esse serviço seja ofertado à população, escancarando o despreparo das cidades para tratar tal problema.

O estudo ainda alerta para o fato de o crack, que antes era consumido por usuários de baixa renda, ter se alastrado por todas as camadas da sociedade. Além disso, diz o texto da pesquisa do CNM: “Assim como as grandes cidades, nos municípios de pequeno porte e até mesmo em áreas rurais, o consumo do álcool vem sendo substituído pelo de crack. Essa substituição se dá tanto pela facilidade de acesso à droga como pelo seu baixo custo”.

Quer ficar sempre atualizado? Siga-nos!  @ctviva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *