Relatório médico afirmava que Amy não chegaria aos 28 anos se não recebesse tratamento

Rolling Stone

De acordo com um médico do Hospital Royal Free, em Londres, Amy Winehouse se negou a se tratar no local por conta conta de sua dependência química.

“Ela foi até o hospital, e foi encaminhada para nós, mas ela recusou o tratamento”, disse Ash Medforth – que, por acaso, também morava perto da casa de Amy – em entrevista à Rolling Stone EUA. “No meu relatório no hospital, é dito que se ela não recebesse ajuda do Estado, ajuda psicológica, seria improvável que ela chegasse aos 28 anos.”

Medforth acrescenta: “Um dos grandes problemas [de celebridades como Amy Winehouse] é que elas escolhem fazer terapia particular. Isso não funciona – como terapeuta, você não pode aceitar que alguém venha e te pague [pela terapia]. Ofereceram a ela muitos tratamentos, e ela escolheu ir para a clínica Priory porque basicamente ela poderia escolher sua própria terapia. Esse foi o grande problema… ela pagou pela terapia para que dissessem a ela o que ela queria”.

Amy Winehouse esteve em diversas clínicas de reabilitação durante os últimos seis anos, mas raramente ficava internada por muito tempo, e costumava voltar a usar drogas pouco depois de sair do tratamento. Segundo Mitch Winehouse, pai da cantora, Amy chegou a ser diagnosticada com enfisema pulmonar devido ao uso abusivo de crack e cigarros.

Amy foi encontrada morta no último sábado, 23. A autópsia da cantora, realizada nesta segunda, 25, foi “inconclusiva” para determinar a causa da morte, que só deve ser revelada daqui a duas ou quatro semanas, quando sairão os resultados de exames toxicológicos. Saiba mais sobre a morte de Amy clicando nos links abaixo.

Quer ficar sempre atualizado? Siga-nos!  @ctviva

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *